DIFERENÇAS ENTRE PLANOS DE SAÚDE COLETIVOS E INDIVIDUAIS

A contratação ou transferência entre planos de saúde é um processo que precisa ser muito bem avaliado para levar em conta todas as necessidades de seus usuários. Podem surgir muitas dúvidas, especialmente quanto às diferentes modalidades de planos, ou seja, planos individuais e planos coletivos. Você sabe qual a diferença entre eles? Entenda melhor como funcionam e prepare-se para acertar na contratação de seu plano!

Definição e Contratação

Os Planos Individuais são aqueles que qualquer pessoa pode optar por contratar, ou seja, a contratação é feita diretamente com a operadora, assim como a parte de cobrança. Isso pode se aplicar também aos planos familiares.

Uma mão segurando uma caneta representando a leitura de contratos de planos de saúde.

Já os planos coletivos, são divididos entre os coletivos empresariais e os coletivos por adesão. Os planos coletivos empresariais são aqueles em que é necessário existir um vínculo empregatício com uma pessoa jurídica. Já os planos coletivos por adesão são contratados em conjunto, mas por características similares, como categoria profissional ou estudantil, por exemplo. A contratação desse tipo de plano exige vínculo com uma associação, um sindicato ou conselhos profissionais, por exemplo, e é intermediada por uma Administradora de Benefícios, como a Nunes & Grossi Benefícios.

Valores e Reajuste

Imagem representando uma conversa sobre reajustes de planos de saúde.

Independente da categoria, os planos de saúde contam com valores diferentes por faixas etárias e tipos de acomodação. Porém os valores iniciais de planos individuais costumam ser mais elevados do que os dos planos coletivos.

Os reajustes de preço anuais são necessários para manter o equilíbrio entre os usuários e as operadoras de saúde. Eles ocorrem em todas as modalidades. A maior diferença acontece quanto à regulação destes reajustes, sendo que nos planos individuais e familiares, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabelece um limite para o valor percentual a ser reajustado. Já nos planos coletivos, não ocorre esse tipo de limitação, por exemplo.

No caso dos planos por adesão, a Administradora de Benefícios negocia diretamente com a operadora. Isso serve para apresentar a seus beneficiários um reajuste que tenha um menor impacto no bolso.

Cobertura e Carências

As coberturas são iguais para todas as modalidades, porém o que acaba sendo diferente são as carências contratuais. O período de carência é o tempo que o beneficiário não poderá utilizar seu plano para determinados procedimentos, por exemplo. Todas as modalidades de planos de saúde tem as informações sobre cumprimento de carências descritas em contrato. O que difere é o tempo que cada modalidade oferta aos usuários. Em muitos casos, os planos coletivos apresentam carências reduzidas em comparação aos individuais, diminuindo o tempo de espera para a utilização dos serviços médicos por parte dos beneficiários. *

*de acordo com a operadora/plano contratado

DEIXE UM COMENTÁRIO